Carreira: Mas afinal, eu tenho uma? Parte 3.

Mas você planejou a sua carreira? Ou as coisas foram simplesmente acontecendo...

Por Tiago Novaes

Mas você planejou a sua carreira? Ou as coisas foram simplesmente acontecendo...
O bom planejamento aumenta e muito a sua chance de sucesso profissional.

Parte 3.

Já vimos até agora, como vem evoluindo o conceito de carreira através do tempo, conhecemos os estágios da carreira, bem como os tipos de carreiras apresentadas pela literatura especializada. Mas como posso assumir o controle da minha carreira? Em um primeiro momento, executando um bom planejamento, que por si só vai fornecer uma boa orientação e também auxiliar em possíveis desvios do percurso original.

É importante ressaltar que para planejar a carreira, o individuo em primeiro lugar precisa definir o que quer como profissão. Que pode ser por compatibilidade, ou seja, relacionada ao interesse pessoal e a sua personalidade ou pelo processo de escolha, sendo relacionado ao estágio da vida que conduz a escolha de carreira, tornando assim o processo bem pessoal. O profissional moderno quando autoconsciente, tem  uma melhor definição quanto aos seus objetivos, valores e interesses. Desta forma possuí melhores possibilidades de planejar o seu desenvolvimento de forma eficiente. 

 Faz-se necessário para um melhor entendimento diferenciar administração de carreira de planejamento de carreira. Milkovich e Boudreau (2000, p.301) caracterizam administração de carreira como

“o processo pelo qual a organização, seleciona, avalia as atribuições e desenvolve os empregados; para atender as necessidades da empresa”

e como planejamento de carreira

“o processo pelo qual o empregado identifica e programa os passos necessários para atingir as metas da carreira”.

Seguindo o pensamento dos autores, o que precisamos é definir aonde queremos chegar e como vamos percorrer este caminho. 

Para efetuar um planejamento de carreira, precisamos dar atenção a três pontos fundamentais, sendo eles: Auto-avaliação; estabelecimento dos objetivos de carreira e implantação do plano de carreira. Assim será possível identificar nossos interesses e potencialidades, alinhados com os objetivos pessoais em um cenário realista e seremos capazes de buscar os conhecimentos necessários para alcançar os objetivos traçados. Nesta linha Martins (2001, p. 51) apresentou o modelo de escolha, planejamento, implementação e avaliação (EPIA):

a.    Escolha:

Etapa das decisões fundamentais, no qual o individuo se defronta desde a primeira decisão profissional; (O que eu quero como profissão?)

b.    Planejamento:

Estabelecimento das metas e estratégias da carreira; (Aonde e como quero chegar, na minha vida profissional?)

c.    Implantação:

Etapa de execução do plano elaborado;  

d.    Avaliação:

Atividade de verificação dos resultados alcançados, vendo a carreira de forma global. (Estou seguindo o plano? Como está o desenvolvimento da minha carreira?)

Neste modelo, podem-se incluir as etapas de redefinição, onde pode ocorrer uma mudança fundamental na carreira; a etapa do replanejamento, caso as estratégias tenham sido inadequadas e por fim a etapa da manutenção, quando as estratégias adotadas são consideradas adequadas, mantém-se o processo como um ciclo fechado. O autor cita ainda contribuição de diversos autores, dentre eles Douglas Hall e Edgar Schein; destacando ainda que as informações geradas pelo autoconhecimento afetem todas as etapas do modelo, sendo assim indispensáveis.

O planejamento de carreira oferece também ao individuo, subsídios para argumentações e negociações profissionais, por entender as suas potencialidades e as necessidades do mercado, o que acaba por se transformar em uma vantagem competitiva ao profissional. No inicio de carreia, pode-se perceber que os indivíduos não seguem sua vocação profissional, e sim as oportunidades de trabalho, no entanto é cada vez mais valorizada a ideia de capital humano, sendo assim as organizações têm interesse em profissionais qualificados em seu quadro de colaboradores, valorizando o comprometimento do indivíduo com a organização, e não com as tendências e oportunidades de mercado; ressaltando a relevância do planejamento e execução das etapas da carreira profissional.

Reforçando que a etapa do autoconhecimento é determinante e vital para o desenvolvimento pessoal e profissional, sendo assim, vamos refletir:

Quem sou eu? 
O que eu gosto de fazer? 
No que sou realmente bom?
O que quero da minha vida profissional?
Como faço para chegar lá?
O que preciso fazer, aprender, desenvolver para alcançar o resultado desejado?    


Este resultado que eu tanto desejo, vai me fazer feliz? Se a resposta for sim... SIGA EM FRENTE.

Após responder a estas perguntas, de forma realmente verdadeira, estaremos prontos para finalmente:

Planejar a nossa carreira, e alcançar o sucesso que sonhamos.
Agora é com você...
Obrigado por acompanhar esta série de artigos!

Autor: Tiago Novaes
           Especialista em Gestão em Empresarial 
           Bacharel em Administração de Empresas 
           Corretor de Imóveis
           tiago.novaes@ganhoimobiliario.com.br

Referências: 

MARTINS, H. T.; Gestão de carreiras na era do conhecimento: abordagem conceitual e resultados de pesquisa. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.
• MILKOVICH; George T.; BOUDREAU, John W. Administração de recursos humanos. São Paulo: Atlas, 2000.
• DUTRA, J. S.; Administração de carreiras: uma proposta para repensar a gestão de pessoas. São Paulo: Atlas, 1996.